Bom, acho que agora já posso falar alguma coisa sobre o método GTD. Venho estudando há alguns meses mas, mais do que isso, estou aplicando. Claro, no nível 1 ou -1. O fato é que agora vejo coisas práticas na minha vida com algum avanço.

O GTD (Getting things done) é um método de organização que as pessoas que utilizam afirmam ser bastante edavid allenficiente. A primeira vez que li sobre isso foi no blog da Thaís Godinho e fiquei bastante curiosa para entender um pouco mais. Comprei o livro do David Allen (A arte de fazer acontecer), que é o ‘pai’ dessa metodologia e estou lendo, despretenciosamente.  É basicamente isso o GTD: em vez de a pessoa ficar pensando em algo que tem que fazer, e não podendo realizar naquele determinado momento, o método dá formas de ela tirar de sua mente e garantir que o faça mais tarde, sem que aquilo se torne uma preocupação.

E tudo começa pelo destralhamento, ou seja, colocar aquilo que não se usa mais, no lixo. Então, é o que estou fazendo:
Tirei minhas últimas duas férias para relaxar, é claro, mas também para fazer faxina. A primeira foi uma limpa DAQUELAS nas minhas coisas muito, mas muito antigas que ainda estavam na casa de meus pais. Refiro-me a cartas de amigos, bilhetes entre amigas (do ensino médio), aqueles cadernos fofinhos que dávamos para os amigos do jardim de infância escrever (lembra deles?), agendas da época de adolescência, e muitas outras tralhas inimagináveis e surpreendentes! Algumas coisas coloquei no fogo sem dó, outras eu guardei e outras coloquei fora, porém registrei em fotografia. Ok! Tenho dificuldade em desapegar. Julgue-me!

Meu caderninho da infância, com mensagem do meu irmão. Desculpa, Mauro ahahahahaha.
OBS> esse é meu primeiro gif. Se soubessem quanto tempo levei pra fazer, relevariam. 
 
 —- Em outro momento, farei um post só com as ‘pérolas’ que encontrei fazendo essa faxina! Imperdível (hehe)! 

A segunda foi a organização – ainda não completa – do meu escritório. Coincidentemente, meu escritório ficou pronto na segunda etapa das minhas férias, então, nem que eu quisesse, poderia fugir da faxina. Estava há muito tempo armazenando minha papelada em caixas, sem ter espaço para guardar tudo bonitinho. Ter um escritório foi bastante revolucionário (mesmo!) porque agora, num giro da cadeira, ou numa espichadinha de braço, eu tenho acesso a todo arquivo, livro, apostila, documento de que necessito. Sensação indescritível!

Outra coisa que fiz foi a limpeza da minha caixa de emails. E agora, julguem-me muito, porque eu tinha mais de 4 mil emails não lidos na minha caixa de entrada, fora os lidos!!! — dando um tempo até passar o choque inicial ——— recuperado? Então, acontece que eu recebia muito spam que não ia parar na caixa de spam. Eu solicitava o descadastramento do meu email nos mailing´s dessas empresas e, mesmo assim, continuava a receber. Para o trabalho, utilizo outro email, então acabei relaxando com esse, já que o utilizo com menos frequência. Minha caixa lotou, a tal ponto, que não tinha mais ânimo para apagar tudo o que recebia. Um belo dia, pensei: ou eu cancelo essa conta, ou dou um jeito nisso! Resolvi mantê-la e iniciei o processo de limpeza. Bloqueei os endereços de emails dos quais não quero receber mensagens, coloquei emails importantes em pastas divididas por categorias e fui apagando outros que não me interessavam. Isso durou muitos dias, porque fiz aos poucos. Esse final de semana, eu terminei e minha caixa de entrada, minha lixeira, meus rascunhos, e a caixa de spam estão vaziiiiooos! Abri uma champanhe logo em seguida para refletir sobre a vida (risos).

Ainda tenho muitas faxinas para realizar até dar novos passos dentro desse processo de organização. Mas acredito que já estou no caminho no bem! Oremos!

Abraçosss!

 

Se você gostou, compartilhe...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on TumblrPin on Pinterest

Comments

comments