Cancun… to aqui pensando: o que vimos lá? O Mercado 28, que tem muito artesanato e comida típica – é muito charmoso! E um pequeno espaço de praia. Vou explicar: não ficamos em aqueles hotelões de sistema all inclusive, justamente porque não queríamos ficar só em Cancun. Ficamos em hostel mesmo (San Patrício, nas cercanias da Rodoviária). Então, a verdade é que praia vimos muito pouco, já que a zona hoteleira, pelo menos a parte que eu vi, cobre toda a visão e entrada para as praias. Nós andamos um bom trecho para achar um ponto em que pudéssemos chegar à praia. Ou seja, não dá para vê-la, quase não tem como acessá-la! Fiquei pensando: como o governo municipal/federal deixou isso acontecer? Os moradores usufruem muito pouco, penso eu, das belezas naturais de sua cidade. Andam pelas avenidas e tudo o que enxergam são hotéis e mais hotéis.

Alguns vão defender o fato de que os hotéis atraem turistas e deixam dinheiro para a cidade e para o país, além de gerar emprego. Eu vejo assim: os donos dos hotéis, provavelmente, ou são estrangeiros ou investem sua fortuna em outros países. E sobre gerar emprego: bom, basta pesquisar um pouco na internet para descobrir que mexicanos não têm muitos direitos trabalhistas. Quem já trabalhou em subemprego sabe que o buraco é bem mais embaixo, ainda mais no México, onde sequer existe carteira de trabalho.

Em Playa, um fato me chamou a atenção: fomos a uma loja de roupas e acessórios de uma marca multinacional. Sei lá que horas eram. Para abrir a porta de todos os clientes da loja, tinha um jovem-senhor. Já achei estranho isso. Abre e fecha porta o dia inteiro. Ok. Muito mais tarde voltei à loja e lá estava o jovem-senhor, abrindo a porta para a madame aqui entrar. Fiquei impressionada e perguntei quantas horas ele trabalhava por dia. A resposta: 12 horas! 12 fucking horas abrindo a porta.

O salário mínimo no México é de 73,04 (em pesos mexicanos) por dia (isso com o aumento de 4,2% vigente desde janeiro de 2016). Isso dá, de acordo com minha pesquisa feita em 24 de junho de 2016, R$ 13,01. É praticamente R$ 1 por hora de trabalho deste senhor! Gente, é muito pouco! Sei lá quanto ele ganha, mas vamos ser realistas, será que é mais do que isso? Agora me corrijam se eu estiver errada, pois entendo pouco de economia: com tanto turismo sendo explorado no México, porque o salário mínimo é tão baixo? O país está em primeiro lugar na América Latina quando se trata de turismo (dados do Sipse.com, leiam a matéria AQUI). São mais de 3 milhões de turistas visitando a cidade durante o ano todo (segundo o site cancun.com.br). O país não deveria ser um pouco mais rico e a população gozar de uma qualidade de vida melhor? Em que conto de fadas vivemos para achar que essa gente está feliz com o fato de haverem muitos hotéis lá?

Enfim, Cancun me fez pensar em tudo isso. Não que não curti estar em Cancun, que não vibrei por conhecer a cidade e a praia. Sim, eu curti. Mas, o que trago aqui, são sempre as minhas impressões mais fortes.

cancun 55

Se você gostou, compartilhe...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on TumblrPin on Pinterest

Comments

comments