Dada às circunstâncias da minha vida aqui no campo, leia-se interior, leia-se Cerro Largo, penso que ser ovolactovegetariana-com-anseios-de-ser-vegana renderia várias histórias. Morar no interior pode dificultar um pouco? Pode. Mas existem outras dificuldades e desafios a serem superados, um deles é o fato de eu cozinhar meia boca! Ingredientes eu encontro, vou aqui, vou ali e até acho. Se não, procuro um substituto ou mudo a receita – simples. E receitas, baby, tem muuuuitas na internet, acompanhadas de informações, de fotos bonitinhas, de comentários e dicas, enfim.

Então, o que me resta é cozinhar (obstáculo número 1) e cozinhar de maneira que eu sinta prazer em comer (obstáculo número 2) e que aquela receita se torne a comidinha da vovó futuramente (obstáculo número 3). Pra falar a verdade, sempre fui aquela mulher que prefere a comida pronta, chegar no restaurante comer, pagar e sair. Nada de louça, nada de sujeira. Então, tenho mudado muito meus hábitos para, quem sabe, me tornar vegana algum dia.

Quando vejo aquelas fotos incríveis de comidas que tem uma cara ótima, não imagino: o quanto de trabalho dá? Não, o quão errado e ruim aquilo pode ficar! Até tento seguir à risca, mas eu sou muito: independente? criativa? Não, sou muito loukaça e vou colocando a quantia ‘no olho’ mesmo, só porque vi em um documentário que grandes chefs não utilizam receitas.

Me senti a grande chef dia desses, enquanto estava fazendo ‘bifes’ de grão de bico de uma receita que vi em um grupo no facebook. Coloquei um pacotinho inteiro (que tinha apenas 50 gramas a mais do que a receita dizia), e acrescentei as medidas da receita. Acontece que precisei acrescentar mais água para poder bater no liquidificador e, com isso o grão ficou pastoso demais e não havia farinha que consertasse. Depois de acrescentar um pacotinho inteiro de farinha, finalmente ficou no ponto para abrir a massa e fazer os bifes. Bom, final da história: estou com meu freezer cheio de pequenos e horriveizinhos bifes com gosto de farinha. Não é bolo, não é bolinho, não é nada, é farinha. Apesar de ruim meus amigos e eu comemos (a fome estava gigantesca!). Não tivemos muita escolha, afinal.  Beijos para Sabri e Júnior que me ajudaram a fazer a receitinha (hahahaha).

E gente, comida vegetariana/vegana é o seguinte: encontrar substitutos para muitas refeições que você gosta de comer. Então, aquele substituto tem que te conquistar, você precisa realmente acreditar que, se nunca mais comer um bife de boi, por exemplo, aquele bife de grão de bico (ou outros) será comido com prazer e gostosura. Com o leite é a mesma coisa. Eu já parei de comprar o próprio leite faz muito tempo e acho que já encontrei bons substitutos (o leite de amendoim é muito gostoso com achocolatado, por exemplo). Tô de boas com isso, vivo tranquilamente. Masss, e quanto ao leite condensado? Ao creme de leite? Ao sorvete? Como sobreviver à TPM sem eles?

Pois é, vamos ver qual será o plano da próxima vez. Qual receita vou fazer, experimentar e errar (eventualmente, hahahah).

Se você gostou, compartilhe...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on TumblrPin on Pinterest

Comments

comments